85 98117.4241

ouvinte@redeshalomderadios.com

85 3261.3600 / 3264.1863

Notícias

Vaticano autoriza processo de beatificação de monsenhor Waldir, santo popular no Ceará

  • Publicado em 10/02/2020

A Diocese de Sobral, na região Norte do Ceará, recebeu nesta sexta-feira (7) o "Nihil Obstat’ (nada obsta), documento emitido pela Santa Sé e autoriza a abertura da Causa de beatificação e canonização do monsenhor Waldir Lopes de Castro, falecido em 2001. Com isso, o Vaticano elevou o sacerdote nascido em Sobral à condição de “Servo de Deus”. Waldir Lopes de Castro tem fama de santo popular, especialmente na cidade de Marco, onde viveu.

O advogado e especialista em Direito Canônico José Luís Lira, que também é vice-postulador da Causa, explica que o Nihil Obstat é um documento formal, redigido em latim e dirigido ao bispo indicando que, após investigação de todos os setores do Vaticano, não foi encontrado nada que impeça a abertura do processo de beatificação. “É a partir deste documento que o candidato à santidade passa a ser chamado Servo de Deus e tem a investigação livre para desenrolar-se até o fechamento do processo”, detalha.

Depois disso, será constituído pelo bispo Dom José Luiz Gomes de Vasconcelos, da Diocese de Sobral, o tribunal eclesiástico diocesano. “Vai aferir as qualidades, as virtudes e constatar toda a vida do Servo de Deus", explica.

O tribunal é composto pelo postulador da Causa, Paolo Vilotta, que mora em Roma; o vice-postulador, Luís Lira, responsável pela causa diocesana; o bispo de Sobral, padres e leigos, nomeados pelo líder da Diocese, que investigarão a vida de Monsenhor Waldir. “A abertura formal do processo é na Paróquia de Marco, onde viveu, na presença do postular”, antecipa o advogado.

Após a conclusão da fase diocesana, os documentos são encaminhados para o Vaticano, onde inicia-se a fase romana. “Juntando milagres, graças e todos os atos que podem aferir a santidade do candidato”, detalha Luís. Em seguida, a Santa Sé se manifesta e emite o decreto de validade. Nesta etapa, inicia a análise das virtudes heroicas do candidato.

“Uma vez constatada, ele é automaticamente declarado como ‘venerável’. Se houver um milagre consistente, nos modos que a Santa Sé exige, com laudos médicos e toda documentação cabível, é iniciada a fase de beatificação. Aprovado o milagre, o papa autoriza a beatificação. Depois de se tornar beato, é necessário outro milagre para a canonização”, conta Luís.

Trajetória

Nascido em Sobral no dia 2 de fevereiro de 1931, Monsenhor Waldir iniciou suas atividades sacerdotais como cooperador da Paróquia de Nossa Senhora do Patrocínio, na sua cidade natal. Foi professor do Seminário de Sobral e na Escola Técnica de Comércio D. José.

Em 1964, assumiu a Paróquia de São Manuel, em Marco, ainda na região Norte cearense, e começou seu trabalho pastoral apoiando as comunidades eclesiais de base e a catequese. Fundou o Centro Educacional São Manuel, onde foi professor e diretor.

Faleceu em 22 de dezembro 2001, enquanto fazia caminhada, vítima de acidente automobilístico. Ele chegou a ser socorrido e para Santa Casa da Misericórdia de Sobral, mas não resistiu. Após sua morte, ganhou fama de santidade em Marco.

Demora

Cada caso tem sua especificidade, por isso, a Causa pode durar décadas. Atualmente, outros cinco cearenses também tem processo de beatificação abertos no Vaticano: Irmã Clemência, Padre Ibiapina, Dom Expedito Lopes e Monsenhor Arnóbio. O mais antigo é o primeiro, aberto pela Arquidiocese de Fortaleza, em setembro de 1975.

Por outro lado, este ano o Ceará ganha sua primeira ‘beata’. No dia 21 de outubro, em Crato, acontece a cerimônia de beatificação Benigna Cardoso da Silva, a “Mártir Benigna”, que foi brutalmente assassinada aos 13 anos de idade, após resistir a uma tentativa de estupro. A menina é aclamada 'Heroína da Castidade', em Santana do Cariri, no Sul do Estado. Seu processo, aberto em 2011, foi rápido, já que sua morte é considerada um “martírio”. Neste caso, não é necessária a comprovação de um milagre.

Fonte: G1 CE