85 98117.4241

ouvinte@redeshalomderadios.com

85 3261.3600 / 3264.1863

Notícias

Regiões com escolas públicas em Fortaleza serão áreas de trânsito calmo em 2020, afirma prefeitura

  • Publicado em 09/12/2019

A partir de janeiro de 2020, o entorno de escolas municipais e equipamentos de educação de Fortaleza farão parte do projeto Área de Trânsito Calmo, que prioriza a segurança de pedestres e busca evitar acidentes.

Inicialmente, nove instituições, sendo três no Bairro Cristo Redentor e seis no Bairro Conjunto Palmeiras, receberão intervenções de segurança viária que, desde 2016, foram implantadas em três locais da Capital cearense. Cada área deve abranger um raio de 200 metros no entorno dos estabelecimentos.

Segundo Luiz Alberto Sabóia, secretário-executivo da Secretaria Conservação e Serviços Públicos (SCSP), o projeto “Caminhos da Escola” surgiu para dar mais conforto aos pais que deixam os filhos nas escolas e para as próprias crianças e adolescentes que já vão sozinhos para a aula.

Dados de matrículas da Sala de Situação da Secretaria Municipal de Educação (SME) e do Censo Escolar 2018 indicam que as mudanças podem beneficiar diretamente cerca de 6.380 estudantes das nove escolas. Além da Educação Infantil e Ensino Fundamental, algumas cobrem o Ensino Médio e a Educação de Jovens e Adultos (EJA).

As intervenções alertam para a segurança de crianças e adolescentes no trânsito. Conforme levantamento do Relatório Anual de Segurança Viário de Fortaleza do ano passado, 138 pedestres entre 0 e 17 anos de idade ficaram feridos em acidentes de trânsito na Capital, em 2018.
Outro dado importante é o de indenizações pagas a jovens da mesma faixa etária em todo o Brasil. De acordo com a Seguradora Líder, 6.084 indenizações do Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT) foram pagas a crianças e adolescentes entre janeiro e junho deste ano.

Mudanças físicas

“A concepção de projeto é tornar a área no entorno da escola uma área segura para quem caminha, principalmente sabendo que para essa escola vão crianças e às vezes idosos que acompanham elas. Então, para cada colégio, iremos medir um raio de 200 metros e criar como se fosse uma mini-área de trânsito calmo”, destaca Luiz Alberto Sabóia.

Nos locais selecionados, deve ocorrer a mudança total dos pavimentos das ruas; a correção e o aumento de calçadas, quando necessário; a instalação de semáforos para pedestres e a pintura de ciclofaixas; aplicação de travessia elevada, sinalização e fiscalização “ostensiva”, segundo o secretário. A velocidade máxima permitida nas ruas dos colégios também vai cair para 30 km/h.

“Normalmente, reclamamos que as crianças recebem instruções sobre como se comportar nas vias e, às vezes, na frente da escola a coisa é ruim. As crianças, principalmente as menores, são mais desatentas, estão aprendendo a se locomover, a andar pela cidade, então é preciso que se tenha cuidado”, pondera o professor do Departamento de Engenharia de Transportes da Universidade Federal do Ceará (UFC), Mário Azevedo, para quem a moderação de tráfego perto das escolas é acertada.

“Streets for Kids”

Para o especialista, a infraestrutura viária deve ser aliada a uma boa educação sobre o trânsito para a formação de adultos conscientes. “Isso torna as ruas mais humanas. Você pode ficar mais tranquilo em caminhar pela cidade com menor risco de acidentes”, ressalta.

As novidades devem chegar primeiro às três instituições do bairro Cristo Redentor, segundo Beatriz Rodrigues, coordenadora de Desenho Urbano da Iniciativa Bloomberg em Fortaleza. As primeiras escolas vão contar com alargamento de calçada, esquina segura e faixas de pedestre repaginadas.

“Vamos fazer muito parecido com o modelo de associações de transporte dos Estados Unidos. Lá eles tem o 'Streets for Kids', que estimula o pensar em uma cidade ideal para crianças. Quando se pensa uma cidade para idosos e crianças, a gente tem uma cidade segura”, explica Beatriz.

Conforme Luiz Alberto Sabóia, a intenção é expandir o projeto à medida que as implantações forem fixadas na cidade. “É um projeto-piloto super ousado. Após os resultados, a gente vê se consegue expandir e torná-lo uma política pública”, espera.

Primeiras escolas que receberão as mudanças:

Bairro Cristo Redentor:

Escola Santa Tereza
Centro Social Urbano (CSU) Gov. Virgílio Távora
CEJA Monsenhor Hélio Campos

Bairro Conjunto Palmeiras:

CEI César Cals
Escola César Cals
CEI Socorro Virino
Escola Socorro Virino
Escola Marieta Cals
Escola Aldaci Barbosa

Fonte: G1 CE