85 98117.4241

ouvinte@redeshalomderadios.com

85 3261.3600 / 3264.1863

Notícias

Fortaleza recebe projeto-piloto do Ministério da Saúde para análise do atendimento de emergência do SUS

  • Publicado em 21/03/2019

O Ministério da Saúde (MS) vai avaliar o atendimento de emergência em hospitais e unidades públicas de saúde de Fortaleza, com a implantação do projeto-piloto de "Dimensionamento da Força de Trabalho no Sistema Único de Saúde". Fortaleza é a primeira cidade do Brasil a receber o modelo. Uma reunião para definir as diretrizes do trabalho foi realizada nesta quarta-feira (20) com a Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES), do MS, e as secretarias Estadual (Sesa) e Municipal (SMS) de Saúde.

A ideia é investigar os índices das principais unidades de saúde de Fortaleza, avaliando a capacidade em relação à demanda, como o número de servidores e os tempos de permanência e atendimento nas emergências. O diagnóstico deve direcionar ações de melhoria do serviço público de saúde da capital.

De acordo com o Ministério, o projeto vai passar por 100 municípios de todas as regiões do País. O Hospital Geral de Fortaleza e Unidades de Pronto Atendimento (UPA) já receberam equipes do órgão nesta tarde.

"Inicia pelo Estado do Ceará e pretende oferecer um modelo a ser implantado posteriormente em todos os municípios brasileiros. Isso vai resultar em economia para o estado, em eficiência para o paciente e melhoria das condições de trabalho desses profissionais", afirmou a secretária da SGTES, Mayra Pinheiro.

O grupo de trabalho composto pelas secretarias tem prazo de um mês pra montar as equipes e enviar os dados solicitados pelo ministério.

"A proposta é avaliar as principais portas de entrada. No Estado, os grandes hospitais. Em Fortaleza, hospitais secundários, Frotinhas, Gonzaguinhas e UPAs", explicou Romel Araújo, coordenador dos Hospitais e Unidades Especializadas de Fortaleza.

Segundo o coordenador, a partir dos resultados da avaliação, uma das ações efetivas deve ser treinamento para qualificação dos servidores. "A proposta é treinar todas as pessoas a partir do diagnóstico. Qualificar. Tornar o ambiente acadêmico", acrescentou.

O "Dimensionamento da Força de Trabalho no SUS" prevê:

classificação das vulnerabilidades das Unidades Básicas de Saúde de acordo com indicadores sociais e epidemiológicos;
conhecimento do número real de trabalhadores e o necessário para compor as equipes;
realização da previsão orçamentária para planejamento de adequação da força de trabalho;
distribuição, priorização e monitoramento dos profissionais;
planejamento da contratação a curto, médio e longo prazo;
sistema de informação organizado para avaliar e monitorar os recursos humanos;
identificação das demandas de educação permanente e fornecimento de informações estratégicas para a gestão municipal.
Para o coordenador Romel Araújo, um dos fatores que contribuiu para Fortaleza ser a primeira a receber o projeto é o investimento em atividade acadêmica na área da Emergência.

"Fortaleza é a segunda residência de medicina de emergência no País. Partiu na frente na consolidação da residência de medicina de emergência. Isso tem 10 anos", ressaltou.

Ao longo do período de visitação nas unidades, novas reuniões entre as secretarias e o Ministério da Saúde devem ocorrer para discutir os cenários encontrados.

FONTE: G1 CE