85 98117.4241

ouvinte@redeshalomderadios.com

85 3261.3600 / 3264.1863

Jornal Nova Expressão

Advogados rebatem declarações do Flamengo, mas deixam aberta possibilidade de novo diálogo

  • Publicado em 25/02/2019

Devido ao fracasso na mediação coletiva com as famílias das 10 vítimas do incêndio no Ninho do Urubu, o Flamengo parte agora para negociações individuais. Segundo o presidente Rodolfo Landim, os próprios familiares procuraram o clube para que as conversas continuassem. Na última sexta-feira, houve a primeira tratativa. Outras estão previstas para esta semana. No entanto, advogados das vítimas contestam a versão.

Em um grupo no aplicativo Whatsapp, com a participação dos representantes legais das vítimas, os advogados das famílias dos 10 mortos, além dos defensores de Jhonata Ventura - ferido que continua internado -, negaram qualquer contato com o Flamengo após o encontro de quinta-feira, no Tribunal de Justiça.

O GloboEsporte.com teve contato com advogados de seis das 10 famílias que tiveram perdas. Se houve qualquer movimento por parte de seus clientes, eles não souberam.

- As duas famílias que represento não se reuniram com o clube, ainda que eu não ache a individualização das conversas uma má ideia. Não posso lhe garantir que família alguma foi procurada ou se reuniu com o clube. Falando pelas de Bernardo e Vitor, posso garantir que não houve reunião – afirmou Thiago d’Ivanenko, advogado das famílias de Bernardo Pisetta e Vitor Isaias.

- Conversamos e nenhuma das famílias teve encontro com o Flamengo. A avaliação que fazemos é que jogaram para a galera, que queriam dar uma resposta para a torcida, os patrocinadores. Em nenhum momento, eles disseram que aquela proposta feita era só o início da conversa. Não vai ter acordo se o Flamengo não voltar atrás. Entendemos que o presidente está há pouco tempo no cargo, mas isso não justifica – disse o advogado Márcio Costa, que representa a família de Christian Esmério.

FONTE (sonora): Agência Rádio Web