85 98117.4241

ouvinte@redeshalomderadios.com

85 3261.3600 / 3264.1863

Notícias

Site do Mais Médicos segue instável no 2º dia de inscrições

  • Publicado em 22/11/2018

Pelo segundo dia, o site para a inscrição de profissionais interessados em fazer parte do programa Mais Médicos ficou fora do ar na manhã desta quinta-feira (22). A instabilidade foi constatada nos endereços http://maismedicos.saude.gov.br/new/web/app.php/inscricao e http://maismedicos.saude.gov.br/

O Ministério da Saúde foi procurado, mas ainda não se manifestou sobre o caso.

O chamado do governo federal abre 8.517 vagas em quase 3 mil municípios e 34 distritos indígenas. O salário é de R$ 11,8 mil. Podem se candidatar os médicos brasileiros com CRM Brasil ou com diploma revalidado no país. A inscrição poderá ser feita até as 23h59 de domingo (25).

Na quarta (21), primeiro dia de abertura para cadastramento no programa, o site também ficou fora do ar e o Ministério da Saúde atribuiu a falha ao alto número de acessos.

Depois, disse que os acessos simultâneos tinham característica de ataques cibernéticos e que o governo federal tentava isolar as ações que comprometiam o sistema. No entanto, o problema persiste.

Novas vagas após saída de cubanos
As novas vagas foram anunciadas em um edital lançado sete dias após Cuba anunciar que deixará o convênio após declarações "ameaçadoras" de Bolsonaro.

Em agosto, ainda em campanha, Bolsonaro declarou que ele "expulsaria" os médicos cubanos do Brasil com base no exame de revalidação de diploma de médicos formados no exterior, o Revalida. A promessa também estava em seu plano de governo.

Em novembro do ano passado, o Supremo Tribunal Federal (STF) validou o Mais Médicos e autorizou a dispensa da validação de diploma de estrangeiros ao julgar ações que questionavam pontos do programa federal, como acordo que paga salários mais baixos para médicos cubanos.

A atuação dos médicos cubanos no Brasil gera polêmica desde a criação do programa, que contrata profissionais de várias nacionalidades, e não apenas cubanos.

FONTE: G1