85 98117.4241

ouvinte@redeshalomderadios.com

85 3261.3600 / 3264.1863

Notícias

Sindicatos paralisam as atividades dos postos de saúde em Fortaleza

  • Publicado em 18/09/2018

Servidores dos postos de saúde de Fortaleza paralisam parcialmente as atividades nesta terça-feira (18) em protesto pelo aumento da segurança nas unidades. Devido ao movimento, os postos de saúde não estão prestando atendimentos médicos básicos à população, como consultas e exames.

De acordo a presidente do Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos do Município de Fortaleza (Sindifort), Nascelia Silva, cerca de 70% dos funcionários aderiram à paralisação. Com isso, as unidades estão operando com somente 30% da capacidade normal. No entanto, nenhum posto de saúde foi fechado na capital.

O G1 entrou em contato com diversos postos e a suspensão dos atendimentos devido à falta de médicos e enfermeiros. No Posto de Saúde Irmã Hercília Aragão, por exemplo, estão funcionando apenas serviços administrativos, como farmárcia e marcação de consultas.

Já no Posto de Saúde Luciano Torres de Melo, no Bairro Vila Manuel Sátiro, somente uma enfermeira estava atendendo os pacientes e os direcionando para outras unidades hospitalares.

Reivindicações
A presidente do Sindifort disse que sindicatos e associações que representam médicos, técnicos em odontologia e enfermeiros realizam um ato na Câmara Municipal de Fortaleza, no Bairro Luciano Cavalcante, para cobrar melhorias na segurança das unidades. Ela informou que as categorias solicitam que os guardas municipais façam a segurança dos postos de saúde da capital.

"A principal reivindicação é com relação à falta de segurança, pois os servidores presenciam assaltos, conflitos da polícia com criminosos no interior das unidades. A gente reivindica que guardas municipais sejam colocados para fazer a segurança das unidades básicas de saúde da capital. São 120 postos de saúde e acreditamos que o efetivo da Guarda Municipal seja suficiente para isso", afirmou.

Nascelia acrescentou que o movimento deve realizar uma nova paralisação com um ato na Secretaria Municipal de Saúde (SMS) na manhã de quarta-feira (19).

FONTE: G1 CE